Evitando duplicação com Strategy e Classes Anônimas

Suponha que temos a seguinte classe Desenho:

class Desenho {

	private final String nome;
	private final int decadaDeCriacao;

	public Desenho(String nome, int decadaDeCriacao) {
		this.nome = nome;
		this.decadaDeCriacao = decadaDeCriacao;
	}

	public String getNome() {
		return nome;
	}

	public int getDecadaDeCriacao() {
		return decadaDeCriacao;
	}
	
	public String toString() {
		return nome + " (" + decadaDeCriacao + ")";
	}
}

Com a classe Desenho em mãos, vamos criar uma classe principal e alguns desenhos, colocando-os em uma lista:

class Programa {
	public static void main(String[] args) {
		Desenho popeye = new Desenho("Popeye", 1920);
		Desenho picaPau = new Desenho("Pica-pau", 1940);
		Desenho flintstones = new Desenho("Flintstones", 1960);
		Desenho scoobyDoo = new Desenho("Scooby-Doo", 1970);
		Desenho simpsons = new Desenho("Simpsons", 1990);
                
		List<Desenho> desenhos = 
                Arrays.asList(popeye, picaPau, 
                            flintstones, scoobyDoo, simpsons);
	}
}

Essa lista de desenhos poderia, ao invés de ser criada na mão, vir de um banco de dados através de uma DAO.

Dentro da main, vamos filtrar todos os desenhos que foram criados antes de 1960 e imprimi-los:

List<Desenho> antesDe1960 = new ArrayList<>();
for (Desenho desenho : desenhos) {
	if(desenho.getDecadaDeCriacao() < 1960){
		antesDe1960.add(desenho);
	}
}
for (Desenho desenho : antesDe1960) {
	System.out.println(desenho);
}

Deverá ser impresso:

Popeye (1920)
Pica-pau (1940)

E se quisermos filtrar todos os desenhos que começam com a letra “S”? Faríamos algo como:

List<Desenho> comecamComS = new ArrayList<>();
for (Desenho desenho : desenhos) {
	if(desenho.getNome().startsWith("S")){
		comecamComS.add(desenho);
	}
}
for (Desenho desenho : comecamComS) {
	System.out.println(desenho);
}

Teríamos a seguinte saída:

Scooby-Doo (1970)
Simpsons (1990)

Observem acima as linhas destacadas no código dos dois filtros. São as únicas linhas essenciais, com código que tem a ver com o que realmente queremos fazer: filtrar os desenhos.

O resto é código repetitivo, apenas dá suporte ao que queremos fazer. E esse código de suporte tem exatamente a mesma estrutura nos dois exemplos. Código duplicado, a raiz de todo o mal!

Evitando duplicação com Strategy e Classes Anônimas

Podemos evitar esse tipo de duplicação extraindo o código repetitivo para uma classe que filtra os desenhos:

class FiltroDeDesenhos {
	public List<Desenho> filtra(List<Desenho> desenhos){
		List<Desenho> filtrados = new ArrayList<>();
		for (Desenho desenho : desenhos) {
			if(???){
				filtrados.add(desenho);
			}
		}
		return filtrados;
	}
}

Mas a comparação vai variar de acordo com o que quisermos filtrar. E agora?

Podemos utilizar um molde chamado Strategy, de maneira a isolarmos as diferentes comparações cada uma em uma classe própria, respeitando um contrato comum.

Para definir um contrato em Java, utilizamos uma interface:

interface ComparacaoDeDesenhos {
	boolean valePara(Desenho desenho);
}

Devemos colocar a interface ComparacaoDeDesenhos como parâmetro do método filtra de FiltroDeDesenhos, usando-a para encapsular a lógica de filtragem dos desenhos de maneira polimórfica:

class FiltroDeDesenhos {
	public List<Desenho> filtra(List<Desenho> desenhos, 
				ComparacaoDeDesenhos comparacao){
		List<Desenho> filtrados = new ArrayList<>();
		for (Desenho desenho : desenhos) {
			if(comparacao.valePara(desenho)){
				filtrados.add(desenho);
			}
		}
		return filtrados;
	}
}

Para utilizarmos a nossa nova classe FiltroDeDesenhos para filtrar os desenhos criados antes de 1960, precisaríamos criar uma classe que atenda ao contrato definido pela interface ComparacaoDeDesenhos:

class ComparacaoDeDesenhosAntesDe1960 
				implements ComparacaoDeDesenhos {
	public boolean valePara(Desenho desenho) {
		return desenho.getDecadaDeCriacao() < 1960;
	}
} 

Então, poderíamos cria uma instância da nossa nova classe ComparacaoDeDesenhosAntesDe1960, e passá-la para o nosso FiltroDeDesenhos, depois imprimindo os desenhos filtrados:

FiltroDeDesenhos filtro = new FiltroDeDesenhos();

ComparacaoDeDesenhos comparacaoDeDesenhosAntesDe1960 = 
					new ComparacaoDeDesenhosAntesDe1960();

List<Desenho> antesDe1960 = filtro.filtra(desenhos, 
					comparacaoDeDesenhosAntesDe1960);
for (Desenho desenho : antesDe1960) {
       	System.out.println(desenho);
}

A saída seria a mesma de antes:

Popeye (1920)
Pica-pau (1940)

Para filtrar os desenhos que começam com “S”, teríamos que criar a classe ComparacaoDeDesenhosQueComecamComS.

Mas será que, pra todo o tipo de comparação, temos que criar uma classe diferente? Se fosse assim, o número de classes ia ser imenso.

Ao invés de criar a classe ComparacaoDeDesenhosAntesDe1960, poderíamos criar uma instância de uma classe sem nome, que atende à interface ComparacaoDeDesenhos, tudo de uma vez:

FiltroDeDesenhos filtro = new FiltroDeDesenhos();

List<Desenho> antesDe1960 = filtro.filtra(desenhos, 
	new ComparacaoDeDesenhos() {
		public boolean valePara(Desenho desenho) {
			return desenho.getDecadaDeCriacao() < 1960;
		}
});
for (Desenho desenho : antesDe1960) {
       	System.out.println(desenho);
}

Continuaríamos com a mesma saída:

Popeye (1920)
Pica-pau (1940)

Observe demos um new na interface ComparacaoDeDesenhos, seguido de uma implementação do método valePara, sem fornecer um nome para a classe.

Ao criarmos uma implementação de uma interface que não tem nome, estamos criando uma classe anônima.

O trio “});” é bem familiar para quem usa Javascript, já que aparece nas funções de callback usadas por muitas bibliotecas.

Para filtrar todos os desenhos que começam com “S”, faríamos:

List<Desenho> comecamComS = filtro.filtra(desenhos, 
	new ComparacaoDeDesenhos() {
		public boolean valePara(Desenho desenho) {
			return desenho.getNome().startsWith("S");
		}
});
for (Desenho desenho : comecamComS) {
	System.out.println(desenho);
}

Teríamos exatamente a mesma saída de antes:

Scooby-Doo (1970)
Simpsons (1990)

Comparando as implementações

Se deixarmos a impressão dos desenhos filtrados de fora, teríamos o seguinte código antes do uso de Strategy com classes anônimas:

List<Desenho> antesDe1960 = new ArrayList<>();
for (Desenho desenho : desenhos) {
       	if(desenho.getDecadaDeCriacao() < 1960){
       		antesDe1960.add(desenho);
       	}
}
List<Desenho> comecamComS = new ArrayList<>();
for (Desenho desenho : desenhos) {
       	if(desenho.getNome().startsWith("S")){
       		comecamComS.add(desenho);
       	}
}

Já o código com Strategy e classes anônimas, ficou assim:

List<Desenho> antesDe1960 = filtro.filtra(desenhos, 
	new ComparacaoDeDesenhos() {
		public boolean valePara(Desenho desenho) {
			return desenho.getDecadaDeCriacao() < 1960;
		}
});
List<Desenho> comecamComS = filtro.filtra(desenhos, 
	new ComparacaoDeDesenhos() {
		public boolean valePara(Desenho desenho) {
			return desenho.getNome().startsWith("S");
		}
});

O número de linhas ficou o mesmo, mas a modelagem da solução ficou melhor, evitando repetição do laço e do acúmulo dos desenhos filtrados em uma nova lista.

Uso de Strategy e Classes Anônimas em bibliotecas

É muito comum em bibliotecas do mundo Java utilizar o molde Strategy com classes anônimas.

Um exemplo bem comum é a interface Comparator da API de Collections do Java:

Collections.sort(desenhos, new Comparator<Desenho>() {
	public int compare(Desenho desenho1, Desenho desenho2) {
		return desenho1.getNome()
				.compareTo(desenho2.getNome());
	}
});
for (Desenho desenho : desenhos) {
	System.out.println(desenho);
}

O código acima, irá imprimir os desenhos ordenados por nome:

Flintstones (1960)
Pica-pau (1940)
Popeye (1920)
Scooby-Doo (1970)
Simpsons (1990)

Em frameworks como Spring, o uso de Strategy e classes anônimas é bastante comum. É usado, por exemplo, para gerenciar uma transação programaticamente:

transactionTemplate.execute(new TransactionCallback() {
	// código executado em uma transação
	public Object doInTransaction(TransactionStatus status) {
 		atualizarPedidos(compra.getPedidos());
		return atualizarTotalDaCompra(compra);
 	}
});

Concluindo

Através do uso de Strategy e classes anônimas, conseguimos criar uma solução que encapsula a estrutura, permitindo-nos focar na essência do que estamos fazendo e, dessa maneira, evitando duplicação.

Essa solução é bastante usada em bibliotecas e frameworks do mundo Java.

Porém, a sintaxe de classes anônimas em Java é assustadora.

No próximo post, veremos o que o Java 8 tem a oferecer para deixar nosso código mais sucinto.

O código desse post pode ser encontrado em: https://gist.github.com/alexandreaquiles/9644356

Anúncios

Um comentário sobre “Evitando duplicação com Strategy e Classes Anônimas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s