Infraestrutura

Invalidando o cache do Docker

O Docker é uma tecnologia fantástica. Através de recursos do kernel do Linux, a ferramenta permite executar o código da sua aplicação em “máquinas virtuais” (na verdade, containers) muito leves.

Uma coisa chata é que o Docker funciona nativamente apenas em distribuições Linux. Pra usar no Mac OS X ou no Windows, você precisa de uma máquina virtual VirtualBox.

Receita

Com o Docker, você pode definir uma “receita” em um arquivo chamado Dockerfile. Através de comandos pré-definidos, você fornece um passo-a-passo que é usado para criar templates de máquinas, conhecidos como imagens. As imagens são usadas para criar os containers que realmente executam aplicações. Um exemplo de Dockerfile seria:

FROM ubuntu:trusty

RUN apt-get install -y --no-install-recommends \
	curl \
	git

#instalando nodejs 0.12.4 (com npm 2.10.1 incluso)
RUN curl -sSLO "http://nodejs.org/dist/v0.12.4/node-v0.12.4-linux-x64.tar.gz" \
	&& tar -xzf "node-v0.12.4-linux-x64.tar.gz" -C /usr/local --strip-components=1 \
	&& rm "node-v0.12.4-linux-x64.tar.gz" 

RUN npm install -g alexandreaquiles/marechal-random

CMD marechal-random

O comando FROM permite o uso de uma imagem pré-definida. Já o RUN permite que algo seja executado na nova imagem que está sendo criada. O CMD define o comando que deve ser executado por padrão nos containers criados a partir dessa imagem.

Continue lendo

Anúncios