Não seja um Agilista Chato

Welcome to Fight Club. The first rule of Fight Club is: you do not talk about Fight Club. The second rule of Fight Club is: you DO NOT talk about Fight Club!

Uma coisa com a qual toda pessoa que se empolga com Ágil tem que tomar cuidado é não ser um tipo muito odiado por aí: o Agilista Chato.

No dia-a-dia da empresa, quando as coisas vão contra os princípios Ágeis que ele leu nos livros ou na Internet, o Agilista Chato fica nervoso e vocifera “no XP é assim”, “no Scrum é diferente”, “isso vai contra os princípios Lean”…

Eu fui esse tipo de agilista e tenho tentado me distanciar disso. Quando você está num ambiente não Ágil (e isso tem de monte por aí), é preciso ter tato para inserir novas ideias. Ágil, invariavelmente, requer mudança de comportamento e mudanças desse tipo são graduais.

Lance as ideias, mas não mencione XP ou Scrum. As pessoas não estão interessadas em XP ou Scrum, elas estão interessadas em resolver os problemas que elas enfrentam de maneira efetiva. Ágil oferece um bom guia para vários problemas comuns no desenvolvimento de software. Se você souber sugerir as soluções no momento certo, você se dará muito bem.

Tenha paciência e relaxe: implantar Ágil é difícil mesmo. Coragem não é um dos valores do XP à toa. Mas não confunda coragem com chatice. Foque sempre no ROI, saiba  adaptar as práticas (ou aprenda errando) e vá com calma.

Não importa o que o XP diz, o que você ouviu na sua aula de Scrum Master. Todo agilista enfrentará muitos problemas e os verdadeiramente bons saberão contornar a situação. Esqueça os processos: falar em processo ágil é tão paradoxal, que até dói o estômago. O que importa é o sucesso e não o processo.

Também é preciso tomar cuidado ao falar que os métodos tradicionais estão errados. Tem muita gente muito competente que acredita naquilo. Cuidado para não bancar o moleque, o xiita ágil, que não aceita ideias alheias. Aceite as ideias tradicionais, dependendo do contexto. Reavalie suas decisões a cada situação. Não deixe seu discernimento ser afetado por preconceitos e rigidez de valores. E assine o Juramento da Não-Lealdade.

Você nunca encontrará o projeto perfeito ou a equipe perfeita. São poucos os Becks, Fowlers e Jeffries por aí. Contente-se com o que você tem hoje, valorize sua equipe e tente melhorar sempre.

Um  bom conselho: não fale sobre Ágil.

Anúncios